30
Nov 10

 

"De ti, só tenho mesmo as olheiras que me tentam mascarrar o rosto. De ti só tenho mesmo a recordação de uma segunda pele, amarrotada, de riscas suaves e que me aumentava a pequenez. Perto de ti o meu mundo mingava, por seres maior que a vontade de te largar, deixar, resumir a simples desejo. De ti sobram ainda sorrisos... sôfregos beijos, repentinos, tirados a saca-rolhas, sempre num eterno dilema do 'meio-cheio, meio-vazio'. De ti não resta mais nada. Só um passado quase esquecido e, se assim ainda não o é, será rapidamente tratado como tal."

historiado por vanessaquiterio às 22:13
tags:

Vanessa Quitério
pesquisar