13
Jun 11

Mais blá blá blá do mesmo. A estas horas Pessoa, Fernando de nome e uno na existência, faria 123 anos, qual numeração seguidinha, rica em versos e demais questões existenciais.


Dele retive sempre a neura. A inquietação de múltiplos génios, vidas e hipertensões. O cruel pensar, pensar, pensar em tudo e mais um par de botas, num círculo vicioso em que a resposta foi sempre a mesma: A VIDA!


Hoje retomo a escrita neste espaço, muito porque já era sem tempo e porque muitos já estranham o desaparecimento. Calma meus leitores atentos e de sempre. Continuo pelas redes, sempre a mesma lamechas, vivã e sedenta de coisas que extrapolem a simples rotina diária. Obrigada por me darem força. E como diria Campos, Álvaro de Campos "Não sou nada... À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."


Gosto muito também de Alberto Caeiro, na sua melancolia estranhamente tão terrena e ingénua. Partilho recolha de poemas. Enjoy!

Fernando Pessoa (Alberto Caeiro) - GUARDADOR de REBANHOS

historiado por vanessaquiterio às 17:42
tags:

Vanessa Quitério
pesquisar