30
Mai 10

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Algo que corta. Simples jogos de palavras, formas trocadas e muito sentimento. Não esperava um grande auditório do Centro de Congressos de Caldas da Rainha a abarrotar. E, num auditório a meio gaz, os A Naifa encheram bem as medidas. O grupo ainda não toca qualquer mortal, necessita de compreensão e um ponto de fuga. De escape, de dor. Porque no fundo cada música é pura, esconde em si uma história e as palavras, mais que mera música, são ainda uma mensagem. A Naifa foi um concerto bom, de memória.

 

*

 

todo o amor do mundo não foi suficiente porque o amor não serve
de nada
. ficaram

os papéis e a tristeza, ficou só a amargura e a cinza dos cigarros e
da morte.
os domingos e as noites que passámos a fazer planos não foram
suficientes e
foram
demasiados porque hoje são como sangue no teu rosto, são como
lágrimas.
sei que nos amámos muito e um dia, quando já não te encontrar em
cada instante, cada hora,
não irei negar isso. não irei negar nunca que te amei. nem mesmo quando estiver
deitado,
nu, sobre os lençóis de outra e ela me obrigar a dizer que a amo
antes de a
foder.

 

_josé luís peixoto

historiado por vanessaquiterio às 22:55
tags:

26
Mai 10

Referes-me Tu que ainda te lembras

Daquele primeiro dia

Da marca que deixei

Da lembrança que ainda relembras.

OS MEUS PÉS!

(sinceramente, nem me lembrava desse impacto, nem do quanto ainda te lembro)

 

Foto cedida pelo amigo Pedro

 

historiado por vanessaquiterio às 20:51
tags:

 

All these accidents,
That happen,
Follow the dot,
Coincidence,
Makes sense,
Only with you,
You don't have to speak,
I feel.

Emotional landscapes,
They puzzle me,
Then the riddle gets solved,
And you push me up to this

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
Is where I want to be.

All that no-one sees,
You see,
What's inside of me,
Every nerve that hurts,
You heal,
Deep inside of me, oo-oohh,
You don't have to speak,
I feel.

Emotional landscapes,
They puzzle me - confuse,
Then the riddle gets solved,
And you push me up to this

State of emergency (...)

historiado por vanessaquiterio às 20:39
tags:

25
Mai 10

 

 

"Acreditar quando tudo arde é sempre uma lição"

 

Custou. Reli. Magoei-me de novo.

historiado por vanessaquiterio às 23:46

24
Mai 10

 

 

É sempre bom quando nos ligam a dizer que 'preenchemos requisitos para a vaga x'

Mas custa desistir:

Deixar de seguir um sonho e confrontar-me com esta dura realidade

historiado por vanessaquiterio às 22:54
tags:

20
Mai 10

Este mundo não é feito para apaixonados.

Por isso é que ando sempre ao contrário.


E vocês, o que me dizem disto?


Foto do amigo Pedro (takk)



historiado por vanessaquiterio às 21:32
tags:

Linda esta música, dica da querida amiga Joana Sousa. Grazie.
A Naifa

 

historiado por vanessaquiterio às 21:15
tags:

17
Mai 10

 

 

Submeter candidatura

+

Entrevista

+

Fazer 120 créditos (por já ter uma licenciatura)

+

Mestrado integrado para profissionalizacao em EMRC.


E agora?

 

Foto cedida pelo meu querido amigo TP*

historiado por vanessaquiterio às 23:53
tags:

' Pensem onde estavam aos 17 anos, a fazer o quê'


Foram meses de trabalho. Noites mal dormidas, de levantar a meio da noite a pensar no email que ficou por enviar, no patrocínio que tarda na resposta, de chamadas para contactos de contactos . . . Enfim, todo um trabalho necessário e que fiz de gosto para que a SWITCH conference acontecesse.


Não foi um evento meu. Nem de perto nem de longe. Foi de muitos, de todos os que o pensaram e colocaram de pé, de todos os que participaram, estiveram presentes e acompanharam fora, através das redes e do streaming.

 

A SWITCH conference foi e fez uma experiência. Aconteceu num panorama onde muitos eventos do género ocorreram num espaço de tempo muito curto. Aconteceu num tempo em que muitos dos estudantes - e possíveis interessados - queimaram, e digo literalmente, queimaram tudo nos últimos dia de festas académicas. Ocorreu num momento de pessimismo no nosso país e acima de tudo, por mão de jovens empreendedores contrariadores de tudo isto.


A SWITCH conference foi ideia de um grupo de jovens do 12º ano de Carregal do Sal. Ganhou corpo e orientou-se para o (grande) evento que todos tivemos conhecimento, associando-se à Universidade de Coimbra e à jeKnowledge - A júnior Empresa de Engenharia da UC - tendo assim assento de arrail na cidade beira Mondego. Para mim deu-me duplo prazer fazer parte desta equipa: primeiro por integrar um evento onde temáticas como empreendedorismo, discussão e web fizeram honras de trabalho, e segundo por ser na cidade onde me licenciei, onde vivi três anos fantásticos e onde comecei eu mesma a empreender, a ser mais que o curso que 'tirava'. Foi em Coimbra que cresci como profissional do jornalismo e desenvolvi o gosto por idealizar e organizar eventos e outros modelos de discussão.


Mas voltando à SWITCH conference, os dois dias de evento correram bem. Foram o espelho possivel do nosso empenho como equipa, do nosso esforço em sermos fiéis à ideia de oferecer a um publico vasto a oportunidade de conhecer outras realidades e empreender. Tivemos de tudo: conferências desconcertantes, de vidas virtuais, de ciência, de humor, de tecnologia e jornalismo, de empreendedorismo e apresentação de ideias de negócio. Muito mais podia salientar como temática, mas a SWITCH conference foi o que quiseram fazer dela, quem deu ideias, quem patrocinou, quem esteve presente - no auditório e em casa via redes e streaming - . Foi por e de TODOS os que quiseram pensar um pouco mais sobre o futuro, pensando no presente e como reajustá-lo às necessidades de momento.


Sei que nem tudo correu bem, tivemos percalços de última semana e reajustamos programa. Nem tudo esteve a 100% mas, acima de tudo, empenhamo-nos a 100% na questão de oferecer a quem viu na SWITCH conference uma oportunidade para crescer, para criar contactos, promover discussão e empreender. A mim deu-me imenso gozo trabalhar nesta equipa e evento. Sinto-me honrada por me terem convidado e dado espaço de trabalho. Dei o que pude, transpus algumas barreiras, aprendi novas formas de fazer passar a mensagem.

 

SÓ POR ISSO OBRIGADA malta da SWITCH conference!

 

Deixo alguns links que espelham o que aconteceu e mostram os dois dias de evento. Se quiserem deixem feedback.


http://blog.activemedia.pt/2010/05/17/switch-um-ponto-de-viragem/
http://feelab2010.blogspot.com/2010/05/prof-freitas-magalhaes-na-switch.html
http://sergio.tumblr.com/post/602026902/switch-conference-day-1
http://sergio.tumblr.com/post/605269149/switch-conference-day-2
http://diario2.com/switchconf-em-direto-a-conferencia-internacional-em-coimbra-que-resistiu-aos-tubaroes-4443
http://www.stumbleupon.com/su/4nmDkR/blog.hive.pt/posts/93
http://twitterportugal.com/topico/switchconf

http://www.youtube.com/watch?v=Y8uB3SPfai8

http://www.flickr.com/photos/pedromfs/sets/72157624081693384/

historiado por vanessaquiterio às 23:00
tags:

"Morre lentamente quem não viaja,
quem não lê,
quem não ouve música,
quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito,
repetindo todos os dias o mesmo trajecto,
quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o "preto no branco"
e os "pontos nos is" a um turbilhão de emoções indomáveis,
justamente as que resgatam brilho nos olhos,
sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
quem não se permite,
uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da
chuva incessante,
desistindo de um projecto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o
simples acto de respirar.
Estejamos vivos, então!»

Pablo Neruda

 

Recebi este poema por email, através de um amigo. Empreendedor. Sonhador como eu, que não se contenta com o pouco que podemos alcançar todos os dias. Ambos queremos mais. Ambos evitamos uma 'morte lenta', sem espuma, sem marca. Obrigada Hugo por partilhares este poema. Mais acrescento de onde provêm afinal esta dica.


VISITEM: Young Entrepreneurs Networkers em: http://www.yenportugal.com/?xg_source=msg_mes_network

historiado por vanessaquiterio às 22:12

subscrever feeds
Vanessa Quitério
pesquisar