28
Jun 11

Rotina ou não, os meus dias por Lisboa ainda não tiveram um ritmo certo, desacelerado e com meio termo.


Ora trabalho até mais tarde, ora lembro-me de sair com amigos de cá. Ora vagueio Avenida da Liberdade acima ou me perco a ler as feeds em atraso em plena viagem de metro. Todos os dias ao acordar penso: "hoje vou ganhar novo ritmo e fazer mais coisas, algo mais útil!". E acabo na mesma, igual a tantos outros dias, absorvida numa rotina que nem sempre admiro.


Por outro lado tenho feito e encontrado coisas giríssimas: estado com novos amigos, ido ao cinema e a coisas ditas mais culturais. Aproveitado um feriado ou outro para explorar percursos ou simplesmente estar pelos jardins da Gulbenkian. Os dias tem sido coloridos, com sorrisos e umas olheiras disfarçadas pelo prazer de estar bem.


Por isso, no fundo, o balanço destes primeiros meses por inteiro na capital fazem-se também de sorriso na cara. Consegui vir para cá por mérito e vontade própria. Agradei e agrado a mim mesma. E assim os dias vão passando. Qualquer sugestão diga, acrescentam e partilhem. Ficarei muito agradecida!

 

*deixo-vos um trecho do agradável momento "Júlio Resende e companhia" no TerraçoLounge, no Hotel Corinthia, na noite de 27 de Junho. Amazing!

 

Chega de Saudade (mp3)

historiado por vanessaquiterio às 00:55
tags:

19
Jun 11

(....) Honestly, no?


Gosto imenso dos TWBA's. Oiçam mais algumas músicas deles e fiquem rendidos. Se me perguntarem que outros géneros musicais gosto para além do jazz, eis uma resposta. Bem certa e de qualidade.

 

historiado por vanessaquiterio às 23:35
tags:

16
Jun 11

Porque, algum dia todos temos de recomeçar. Gostei bastante do filme. E nem tudo precisa de ser "txaram" para parecer soberbo. Nesta simplicidade de estória está a vida de cada um de nós. Vejam, e depois falamos melhor!



historiado por vanessaquiterio às 17:05
tags:

13
Jun 11

Mais blá blá blá do mesmo. A estas horas Pessoa, Fernando de nome e uno na existência, faria 123 anos, qual numeração seguidinha, rica em versos e demais questões existenciais.


Dele retive sempre a neura. A inquietação de múltiplos génios, vidas e hipertensões. O cruel pensar, pensar, pensar em tudo e mais um par de botas, num círculo vicioso em que a resposta foi sempre a mesma: A VIDA!


Hoje retomo a escrita neste espaço, muito porque já era sem tempo e porque muitos já estranham o desaparecimento. Calma meus leitores atentos e de sempre. Continuo pelas redes, sempre a mesma lamechas, vivã e sedenta de coisas que extrapolem a simples rotina diária. Obrigada por me darem força. E como diria Campos, Álvaro de Campos "Não sou nada... À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."


Gosto muito também de Alberto Caeiro, na sua melancolia estranhamente tão terrena e ingénua. Partilho recolha de poemas. Enjoy!

Fernando Pessoa (Alberto Caeiro) - GUARDADOR de REBANHOS

historiado por vanessaquiterio às 17:42
tags:

12
Jun 11

Sem discussões. É melhor ouvirem na íntegra o que aqui vos apresento, do que ler uma opinião minha, fundamentada em asserções sentidas à flor da pele. Para variar, estou naqueles dias em que quero muita música. Menos pessoas. Nenhuma confisão.

 

Há coisas que precisam de ser sentidas e arrepiadas.


Como este novo albúm do Bon Iver. Simplesmente belo. Humano. Como só ele sabe fazer. Espero que gostem!



historiado por vanessaquiterio às 23:50
tags:

subscrever feeds
Vanessa Quitério
pesquisar