30
Nov 09

Para quem conhece a minha pessoa, sabe que estar quieta é prática que não consta no meu diccionário. Logo, continuar a trabalhar na ocupação de verão, mesmo já estando oficialmente empregada pode, para muitos, parecer estranho e soar mal.
 

Pois bem, eis o caso:

Venho a casa practicamente todos os fins-de-semana. Perco entre três a seis horas em viagens, de boleias e em Expresso, durmo duas e três noites em casa dos pais e mesmo assim, para cúmulo dos cúmulos, dispenso sete horas ou mais a trabalhar na pastelaria.

 - para quem ainda não sabe, nas férias e sábados durante o ano, trabalho numa pastelaria/padaria na Benedita, afazer que me mantém em contacto com as pessoas e me dá alguns trocos para as despesas.

Posto isto, pergunto a mim mesma: tenho precisão disto, visto já estar a trabalhar, a receber um ordenado fixo e não ter assim grandes despesas com casa, comida e afins?
Ao mesmo tempo respondo: o que faço não é tanto pelo dinheiro mas pelo prazer de estar ocupada, de saber que sou útil e que com isso me torno uma pessoa mais responsável.
 

 - Ainda hoje levantei-me às 05h30 para ir trabalhar na pastelaria. Sai às 8h30 pois tinha aula de condução já marcada, e voltei a entrar às 10h, até às 13h. - Ufa, foi uma manhã intensa de trabalho e que culmina com o chegar à Amareleja pelas 21h30.

Hoje vou deitar cedinho. Ehh ehh

historiado por vanessaquiterio às 15:32
tags:

Vanessa Quitério
pesquisar