17
Dez 09

Passadas 12h certinhas dentro do recinto escolar, só me resta dizer que esta vida de professora é agri-doce, salgada com um leve trago de gozo. Antagónico? Poderá ser, sendo que, por vezes, consigo não abominar o caminho que decidi tomar e gostar desta nova profissão.

 

Hoje foi dia de conselho de turma, na qual sou secretária e redactora da acta. Registos, ocorrências e tudo o que se discuta na reunião são coisas que tenho de rapontar no relatório da reunião. São daquelas coisas que aborrecem... mas depois de feita dá gozo a ler.

 

De resto amanhã é o ÚLTIMO dia de aulas, de actividades culturais de âmbito escolar. Sábado e segunda são dias de mais reuniões de avaliação e na terça as verificações. Posso dizer que a partir do dia 22 ao fim do dia estou de férias. Não daquelas de não fazer nenhum, mas novo estímulo para preparar melhor os períodos que aí vêm.

 

Sei que muita coisa não correu bem devido ao impacto da nova experiência. Novas ideias surgiram e novos estímulos vão aparecendo.

Balanço final: até que não é assim tão mau dar aulas a miúdos do meu tamanho. E olhem que as notas não vão ser nada más.... :)

 

historiado por vanessaquiterio às 22:57
tags:

12
Dez 09

Basta alguém pensar em ir jantar a Évora que, num ápice, se juntam 4 amigas e ruma-se à cidade alentejana. Da Amareleja a Évora são sensivelmente 80km, uma horita de caminho,nem tanto.

 

Foi uma noite agradavel, com jantar saboroso no Antão, e copo de meia-noite no Badaró. Deu tempo para visitar e rever o Templo de Diana, a Sé e as ruelas de calçada antida. No Giraldo estava o circo montado, perdão, a pista de gelo coberta, que ainda foi mote para umas risadas...

 

De regresso, houve tempo para karaoke, em pleno carro e visitar, de relance, o castelo de Monsaraz. Foi bom sair da Amareleja, rir que nem tolinha com as parvoíces de fim de noite e agora, depois de dez horitas de sono, começar a preparar as avaliações do 1º período.

 

Bom fim-de-semana!

historiado por vanessaquiterio às 13:29
tags:

03
Out 09

A noite de ontem foi deveras animada.

Aqui no Alentejo a garraida na Póvoa de São Miguel, perto da Amareleja, arrebata qualquer festinha da minha querida Benedita.

 

Aquilo é que foi rir com as trapalhadas dos touros nas ruas, com as gentes da terra a enfrentar a besta. E eu, com mais três amigos da minha aventura como professora, malhamos finos até à exaustão.

 

Ao Hélder, à Carla e ao Rui, um obrigada pela noite fantástica que tivemos.

historiado por vanessaquiterio às 16:01

24
Set 09

Na minha nova rotina encontro-me rodeada de professores, já experiêntes, calejados, uns tanto outros menos. A media de idades é de 30 anos.. Salvam-se excepções de 25 e, o espanto de todos, a múda de 21.

 

Penso agora: como me safo no meio deste mundo de adultos?

Fico mais pequenina do que sou, surpreendo-me com o convívio fraterno que fazemos, mas ao mesmo tempo constato: é dificil viver num ambiente de 30's quando mesmo sem querer aparento 21 e me comporto (ainda) como a miúda que sou.

 

Difícil momento que passo agora. Ufa!

historiado por vanessaquiterio às 21:28
tags:

23
Set 09

Passadas quase duas semanas initerruptas no Alentejo, já me começo a apegar às coisas e às pessoas de cá.

Um novo núcleo de amigos está a formar-se. Sou catraia no meio. A média ronda a casa dos 30 e poucos anos. Sinto-me bem. Nas conversas e no conviver.

Acho muito boa esta miscelânea de vidas e saberes. Pode ser que aprenda alguma coisa nesta nova experiência.

historiado por vanessaquiterio às 00:25
tags:

01
Set 09

As noites alentejanas têm o seu quê de sereno. Muito citadina andava eu para não perceber o valor destes momentos.

 

Hoje, no primeiro dia na vila, tive o meu contacto como futura docente da EBI da Amareleja. Foi dia de apresentação na escola, de falar com o director e de me inscrever na secretaria. Já me tratam como "a professora" e isso ainda não me soa naturalmente ao ouvido.

 

A tarde - que se nota de grande calor, abafado e de temperaturas ingremes - passei-a no quarto, na parte detras da casa onde habito, em continua sonolência. Soube-me muito bem fazer a sesta, hábito comum por estas bandas e que devo adoptar com mais frequência.

 

A noite, essa, trouxe uma brisa suave de verão, muito surpreendente por estas alturas, visto que nem uma aragem costuma fazer-se sentir. Deve ser pela minha chegada, assim o penso e quero fazer-me crer. Ventos de mudança. Para melhor.

 

Aos poucos, ainda contando as horas novas que aqui gasto, vou-me consciencializando que é uma nova vida a que começo. Novos desafios vão-me ser impostos e aparecerão no meu caminho. A casa, que partilho com mais cinco pessoas, vai ser o meu habitar e refúgio durante o próximo ano. E esse vínculo, o de desempenhar este novo papel como professora, também aos poucos, se entranha dentro de mim.

historiado por vanessaquiterio às 23:14

31
Ago 09

Bolas,

Esqueci-me do despertador e do rádio de estimação, desde os tempos de Coimbra e Porto.

Bahhh

historiado por vanessaquiterio às 22:54

Oficialmente estou integrada na nova vida que vou ter por diante. Durante um ano vou estar por aqui, na terra mais quente de Portugal.

Muitos que lêem este blogue ou que me conhecem de outras andanças ainda não perceberam realmente onde está o cerne desta questão. Então aqui vai uma pequena explicação:
 

 - recebi um convite por parte de uma Congregação Religiosa para leccionar durante um ano a disciplina de Educação Moral Religiosa Católica, aqui na comunidade da Amareleja. Para quem não sabe, venho de uma educação católica e sou activa na minha comunidade. Digamos que sou de uma velha guarda, de raízes cristãs e que se rege por princípios moralistas já considerados arcaicos para a sociedade laica que temos hoje em dia. Sou simplesmente uma vertente do dinamismo social que existe nos dias que correm.
 

Esta nova fase vai servir em muito para me fazer crescer. Ganhar uma maturidade necessária, desprender as amarras de casa dos pais e construir um caminho que quero só meu. 

- ponderei a proposta, visto estar ainda a terminar a minha licenciatura em Comunicação Social e, de uma verdadeira parte, ser uma apaixonada incontornavel de jornalismo. Mas, como em quase tudo na vida, as decisões fazem parte do quotidiano e decidi aceitar a aventura. Mais que ter um trabalho definido - com cama, comida e roupa lavada - penso que esta mudança poderá ser positiva. Vai custar ao inicio, hei-de habituar-me.

- apesar de não ser na minha área, o que me custa um pouco, confesso, abdiquei de um comodismo que poderia ter ao deixar-me aninhar na solução da recém licenciada desempregada, em busca de um lugar prórpio. Penso que as escolhas, as que vou fazendo na minha vida, podem ser ao mesmo tempo uma construcão deslineada daquilo que poderíamos ser quotidianamente. Assim, de uma maneira também aventureira e em jeito de missão, decidi agarrar este projecto. Congratulo a oportunidade que a Congregação me deu, o que deixa ao mesmo tempo expectante, por saber se corresponderei às suas expectativas. Só o tempo me dirá e lhes dirá se foi uma aposta acertada.

De resto vou passar mais tempo por cá, nesta pacata vila, que dista cerca de 80 km de Évora e Beja. É um local acolhedor, quente, típicamente alentejano, onde os serviços encerram das 12h às 17h (sensivelemente) por causa do calor.

 


aah aah aah

 

Estaria eu melhor se não fizesse tanto calor, de dia e de noite. Mas terei de aguentar, tanto como os quilómetros que me distanciam de casa, dos amigos, da rotina que levava. Vou estando contactavel pela internet, continuando com os projectos colaborativos e a delinear o meu percurso de vida. Só deixo bem assente:

 

O jornalismo não fica de parte. Quero e vou prosseguir estudos na área, preparar-me para um possível mestrado. Daqui por diante vou tentar ser mais multifuncional, abrangendo a docência com a minha verdadeira paixão - comunicar.

 

 

 

historiado por vanessaquiterio às 20:40

Vanessa Quitério
pesquisar