26
Nov 10

Já vos disse que estive no PENSAR FORA DA CAIXA, evento multidisciplinar que reuniu 300 pessoas durante dois dias em Coimbra? Agradeço o convite do João Barros e equipa e, já agora, espreitem um primeiro artigo que fiz sobre a iniciativa. Entretanto 'fica online' um segundo, de apreciação à discussão em volta do painel 'Novos Velhos Media' - Pelo twitter, os Novos Velhos Media agitam discussões (Diário2)

 

historiado por vanessaquiterio às 00:02

18
Nov 10

Leiam, por favor leiam este texto. Jornalistas, amantes ainda desta prática do Mundo, pensem sobre estas palavras e tomem uma decisão! Pelo amigo e querido colega Miguel Carvalho.

 

historiado por vanessaquiterio às 13:47

11
Nov 10

 

 

Escrever sobre jornalismo dá me um gozo tremendo. Fica aqui mais um post sobre jornalismo, a paixão que é (ou devia ser) o reportar da realidade, com um exemplo mundial de profissionalismo: Steve Doig. A imagem abaixo remete para o artigo integral, publicado no Ondas na Rede, blog do jornal Correio da Manhã. (cortesia do amigo e colega Paulo Querido)

 

historiado por vanessaquiterio às 12:06

05
Set 10


" Cómodamente sentado en un sofá del hotel Lisboa Plaza, adonde acude para participar en una conferencia, Alves carraspea y empieza a hablar de un cambio de paradigma total. Vivimos en la sociedad del prosumer, o sea, del productor-consumidor de contenidos, explica. El consumidor ya no es un ser pasivo que recibe la información empaquetada por otros. La información ya no circula en paquetes cerrados, sino en unidades abiertas, en flujos que se distribuyen por la Red. Nos enfrentamos a una lógica totalmente distinta de la de la sociedad industrial. "

 

Já ouvi pessoalmente, por diversas vezes, o professor Rosental Alves dissertar sobre a sociedade de informação e as mudanças que advêm da mudança de paradigma: consumidor / produtor. Da passagem para o online e da consequente mudança de hábitos jornalísticos. Agora, sob orientação do professor António Granado e da professora Fernanda Llussá volto à discussão sobre o jornalismo e o seu futuro, bem como a maneira de o fazer viver e render.

 

Para tal, durante cinco sessões, irá ser tema de conversa na Universidade Nova de Lisboa o Jornalismo e o(s) seu(s) modelo(s) de negócio. Estaremos preparados para a mudança de paradigma? De plataformas? De mentalidades no que compete ao novo rumo jornalístico, do papel para o online? Amanhã rumo a Lisboa para frequentar este curso de verão... A ver vamos o que de lá conseguirei retirar; se acrescento algo de novo ou continuamos no novelo de lá que é a discussão do jornalismo e o seu futuro.

historiado por vanessaquiterio às 14:29

11
Jul 10

 

Todos os dias tenho mais de 100 feeds de textos sobre jornalismo para ler. E, para variar, vou acumulando tudo para o fim de semana, perdendo por vezes a instantaneidade dos próprios artigos, no seu imediato impacto. Contudo, nada se perde na web e mesmo com sete dias de 'vida', os artigos são fresquinhos.O jornalismo está a mudar e necessita de acompanhar as mudanças.


Das duas uma: ou continua virado na bolha 1.0 de se integrar na inevitável prática web, mesmo sendo balofa e desajustada da realidade mediática e dos leitores; ou se transcende e se reinventa, entrando definitivamente no paradigma web da prática jornalística. Não refiro que o papel tem de morrer. Não acredito nisso, só  defendo que tem de mudar de finalidade, dando lugar ao imediato uso e abuso da internet como meio de informação.

 

Pegando num artigo do Paulo Querido, lembrei-me do que escrevi no ano passado, aquando do workshop de Ciberjornalismo que realizei no Porto, pela Universidade Autin Texas, com o professor Rosental Alves.

 

Aos interessados deixo o link do artigo do Paulo, muito pertinente e incisivo:

'Contas feitas, ó jornalista, sabes quanto vales, sabes, sabes, sabes? 14%'

 

Sobre o que escrevi aquando do workshop, algumas linhas:

"As mudanças de paradigmas criam as resistências habituais e assustam até os mais cépticos. Por onde vamos? Para onde caminhamos? Como vão ser os jornais em 2020? Rosental Alves no workshop Online Journalism, Porto 2009


São estas as incertezas que nos empurram para a discussão acesa sobre o estado do jornalismo e o que de novo se pode fazer, nesta era em que o cidadão ganha cunho na organização mediática e se torna um filantropo informativo. No jornalismo de hoje, o maior erro ainda consiste no pensar nos moldes tradicionais e não contemplar na prática diária as ferramentas que surgem como uma espécie de cogumelos, a cada hora que passa. O segredo passa pela reinvenção da prática jornalística e o aproveitamento das novas funcionalidades web, como a cristalização da web 2.0 e o transpor para a web semântica ou web 3.0. Uma das ideias que sustenta esta reinvenção assenta na passagem do Homo Sapiens para um Homo Network, onde novas narrativas surgem e se vira o eixo comunicacional para o online e práticas web."

historiado por vanessaquiterio às 16:23

11
Jun 10

 

Partilho a apresentação ppt da formação que dei na EBI de Amareleja intitulada 'O TEXTO JORNALÍSTICO e uns () sobre a Educação para os Media', inserida no programa da semana cultural, nos passados dias 27 e 28 de Maio e 2 de Junho. O público alvo foram as turmas de 6º, 7º, 8º e 9º ano.


http://docs.google.com/present/view?id=dg77tnpq_34mggwbdc5

historiado por vanessaquiterio às 21:48

10
Jun 10

 

 

Perguntaram-me agora:
"Compensa estudar Comunicação Social, Jornalismo ou algo da área?" - Sinceramente, o panorama actual não é animador. Pode ser uma área vingadora ou simplesmente mais uma em que existem milhentos recém -licenciados, com canudo e ideias. Se as têm já não é mau. Apliquem-nas. O canudo não vale nada. Ou valeu, os cerca de 3000 euros aplicados durante a licenciatura.

 

Agora, em termos de universidades, só apostava na Universidade do Minho  ou Universidade do Porto (ambas apostam na investigação e nas novas tecnologias, uma mais valia e que pode ser avanço perante as outras universidades e licenciaturas) - NÃO estou a menosprezar os outros cursos e Faculdades, mas vou-me desapaixonando 'disto'. Teorias já não sustentam paixões, temos de ser mais práticos e andar sempre à frente da tendência. [ DESABAFO ]

historiado por vanessaquiterio às 22:52

01
Jun 10

... relembro o tempo em que andei pela cidade do Porto, em estágio curricular.


Lembro-me bem desta foto e do seu contexto: 'Os miúdos sonho':

'No dia em que cada pessoa pode ser qualquer coisa, miúdos e graúdos despiram a máscara do dia-a-dia e mascaram-se de sonhos e desejos'.

'Algum olhar jornalístico, procurando o que poderá não estar a olho visto mas que necessita de ser encontrado'.
historiado por vanessaquiterio às 17:24

25
Mai 10

 

 

"Acreditar quando tudo arde é sempre uma lição"

 

Custou. Reli. Magoei-me de novo.

historiado por vanessaquiterio às 23:46

12
Mai 10

Todos os dias ganho nova esperança.

Penso que vou ter um rumo mais certo, fazer o que realmente me dá gozo.

Penso que vou conseguir fazer jornalismo, viver dele e mais que isso... para ele.

Mas como te digo, caro amigo, este gostar exacerbado não chega!

Este querer desenfreado... não chega!

Nada parece chegar para ter um lugarzinho, por mais pequeno que seja, no mundo do Jornalismo.

 

Colaborações eu faço, andar pela rede eu ando.

Conhecem o meu trabalho, sabem o pouco que posso valer.

Mas constato: não me vale gostar mesmo deste jornalismo.

Não é destes enamorados profissionais que o mercado recolhe.

Antes fosse. Antes fosse.

historiado por vanessaquiterio às 00:59

Vanessa Quitério
pesquisar
 
blogs SAPO